RVPsi

Sociedade Espanhola de Realidade Virtual e Psicologia

Cooperação Internacional Brasil-Espanha

O QUE BUSCAMOS
A RVPSI busca promover a COMUNICAÇÃO e a COOPERAÇÃO entre os seus membros e a comunidade científica para incentivar o conhecimento e a prática baseada em evidências dos usos clínicos da Realidade Virtual na Psicologia.
50% DE BONIFICAÇÃO PARA OS PRIMEIROS SÓCIOS

Psicologia e Realidade Virtual
A imersão com Realidade Virtual produz um deslocamento de contexto que gera aberturas na codificação neuronal e facilita a experiência de fluxo. Seu potencial terapêutico parece estar nos processos de corporificação, podendo gerar experiências que transformam como nos vemos a nós mesmos no mundo que nos rodeia.

Experiência de fluxo e neurociências

Ao desafiar as leis da Física, a Realidade Virtual faz com que atividade neural gere padrões anormais. Em outras palavras, se interrompe a codificação prevista, abrindo espaço para transformações.

Do estereoscópio aos óculos de realidade virtual

Avaliação e reabilitação com RV

A Realidade Virtual permite a avaliação multimodal de processos psicológicos com validez ecológica e potencial para reabilitação.

Usos terapêuticos mais estudados
A Realidade Virtual vem mostrando ser eficaz em diferentes campos da saúde mental. Oferecemos aqui uma breve aproximação às principais possibilidades que estão sendo estudadas no momento.

Psicologia infanto-juvenil

Na psicologia infanto-juvenil existe um interesse especial na Realidade Virtual para a avaliação em transtornos do neurodesenvolvimento. Pese a que ainda há pouca evidência sobre intervenções na psicologia infantil com RV, a literatura reúne trabalhos com resultados promissores.

Regulação da atenção e TDAH

A Realide Virtual é utilizada para avaliar a atenção com um maior controle de variáveis. Como intervenção a literatura recolhe o uso da RV combinado com biossensores e ambientes com bio e neurofeedback.

Psicoses

A Realidad Virtual permite a avaliação multimodal do funcionamento cognitivo, incluindo habilidades sociais e ideações paranóides. A literatura inclui também relatos de tratamentos com RV para psicoses com resultados positivos.

Ansiedade

A Terapia de Exposição com Realidade Virtual é eficaz para o tratamento de diferentes transtornos de ansiedade, podendo ser combinada atualmente com biossensores para regulação da ativação psicofisiológica.

Tratamento da dor

A Realidade Virtual reduz a percepção da dor aguda graças ao efeito que produz sobre a atenção. No campo da dor crônica, a pesquisa avança através de modelos neuropsicológicos e em combinação com biofeedback e estimulação transcraniana.

Conduta alimentar

A literatura recolhe usos baseados na exposição a elementos com significado emocional (a comida ou o corpo, por exemplo) e experiências imersivas para a atualização das representações corporais, entre elas as experiências de intercâmbio de corpos e deslocamento do quadro de referência.

Adições

A literatura indica que a Realidade Virtual é eficaz para avaliar a reatividade a disparadores do consumo de substâncias, permitendo a exposição e a dessensibilização sistemática.

Autismo

A literatura reúne estudos sobre os usos da Realidade Virtual como ambientes de aprendizagem para pessoas com autismo orientados principalmente à diminuição da ansiedade social, bem como ambientes para aprender habilidades para a vida quotidiana e estimulação de atividade física.

Mindfulness

Neste campo são necessários estudos. A pesquisa recolhe trabalhos orientados à criação de ambientes virutais que facilitem o aprendizado de Mindfulness, observando-se efeitos como defusão cognitiva, redução da psicoativação e experiências transformativas.

O que oferecemos

Projetos de pesquisa

Projetos de pesquisa e reuniões de grupos de trabalho

Literatura

Revisões periódicas e literatura em português

Informação

Informação atualizada de interesse sobre Realidade Virtual e Psicologia

Formação

Formação e suporte para a implantação da RV no contexto clínico